Posts tagged ‘Amsterdam’

“There is always something happening around a beer”

 
Gisele Maia
A frase título é de Alfred “Freddy” Henry Heineken, um bonitão que estava à frente do império da cerveja holandês na década de 60, quando ele conheceu o Caribe, descobriu que existia pobreza no mundo e resolveu intervir em dois problemas que viu nas ilhas: o lixo e a moradia precária.

Freddy encomendou um projeto ao arquiteto John Habreken: uma garrafa de cerveja que servisse também para construir casas.  Em 1963,  foi lançado o Heineken WOBO  – World bottle – um modelo de garrafa retangular que serviria como tijolo, cujo fundo encaixava perfeitamente no gargalo de outra se colocadas lado a lado.  A idéia não foi pra frente, mas entra hoje na minha lista de iniciativas que eu gostaria que tivessem dado certo. 

Na foto, uma parede no Museu da Heineken em Asmterdam, construída com as garrafas.  Apesar da propaganda e das histórias sempre fabulosas da vida dos membros sempre incríveis da família super visionária, o WOBO wall, a câmara interativa (onde são simuladas todas as etapas da produção como se o visitante tivesse o ponto de vista da cerveja) e as duas degustações valem a visita.

wobo world bottle

Anúncios

23 - janeiro - 2009 at 12:13 6 comentários

Onde as cores se escondem

Gisele Maiajordaan

Conheci Amsterdam no verão/outono europeu de 2006. O encantamento foi instantâneo. A paisagem feita de prédios do século 15, canais por toda parte, flores, bicicletas, milhares de bares e cafés com mesas ao ar livre, gente do mundo inteiro e tanto mais dão à cidade um charme óbvio, inconteste. Retornar a esse lugar dos sonhos dois anos depois, no inverno, foi uma experiência quase traumática inicialmente. As árvores secas, apesar de charmosas, estavam acompanhadas de um céu cinza de entristecer nos primeiros dias. Agora, já pude ver o sol brilhando, apesar da temperatura abaixo de zero. E aos poucos vou entendendo onde as cores se escondem. 

imgp04132Nos mercados as cores estão em toda parte. Em Noordernmakt elas ainda ganham um tom especial: nesse mercado (fica num bairro muito bacana em Amsterdam, Jordaan, que merece um post à parte), como em vários outros da Holanda, tudo é politica e ecologicamente correto. Os produtos são sempre orgânicos, frescos, artesanais, fair trade e por aí vai.

restaurante vegetariano Fora isso,  nas ruas próximas ao mercado há milhares de restaurantes com comida vegetariana – um oásis para mim! – e feita com todos aqueles produtos politica-economica-ecologica-social-whatever corretos. Vale sempre uma paradinha, mesmo que não seja hora de uma boa  refeição, pelo menos para tomar um gole de café (eufemismo puro esse gole. Se você pedir um “regular coffee” vai tomar quase um balde), se aquecer e continuar perambulando pelas ruas cheias de barracas.imgp04022

Duas coisas aqui garantem a minha alegria: os peixes e os queijos. Os holandeses se orgulham de seu rótulo de kaaskop (“cabeça de queijo”).  Considerando as quantidades abusivas que andei consumindo, já posso me considerar uma pança de queijo.

imgp0418Enfim, depois de uma boa andada, não há tristeza de inverno que resista. E pra fechar com chave de ouro a minha manhã de sábado, antes de ir embora matei minha saudade do típico sanduíche de arenque marinado.

26 - dezembro - 2008 at 17:49 2 comentários


Feeds

Enquete

O que já contamos

Contador

  • 123,794 acessos

Mais caroço

Agenda

novembro 2017
S T Q Q S S D
« fev    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930