Posts tagged ‘Mundo Corporativo’

Ganhando um dinheiro extra

Ninguém está satisfeito com seu salário. Nem mesmo quem é considerado milionário. Já perdi a conta de quantas vezes ouvi amigos meus, empresários ou altos executivos de grandes operações, reclamando que não conseguem trocar todos os seus carros todo ano ou dos altos preços cobrados pelas escolas de vela em que seus filhos estão matriculados.

Entretanto, uma das grandes maravilhas do Capitalismo é sua extrema capacidade de se reinventar, que chega ao ponto de permitir que as pessoas lucrem com coisas tão pessoais quanto o corpo ou itens relacionados. Não estou falando sobre prostituição, já que essa carreira demanda dedicação exclusiva. Além disso, para se obter um lucro razoável é necessário um bom investimento inicial, para garantir que o produto que você oferece se destaque no Mercado o suficiente para gerar um retorno confortável. Isso sem falar na perda da dignidade, o que não tem preço (embora a OMC deva se pronunciar em breve fixando um mínimo).

Existem muitas coisas às quais você não dá bola, que pode chegar até a desprezar, que podem valer bastante dinheiro se receberem o marketing correto. Uma breve lista:

Órgãos: Uma edição recente da revista Superinteressante dá uma idéia de quanto seu corpo pode valer. Excetuando-se órgãos vitais como coração e pulmões (considerando que você pretenda viver para gastar sua fortuna), o Mercado Negro costuma pagar entre R$ 5 mil e R$ 7 mil a cada 10 cm2 de pele, o órgão mais desvalorizado. Por um rim, chega-se a pagar até R$ 200 mil. No entanto, é bom lembrar que, apesar de as quantias serem atraentes, são um investimento arriscado se não for bem planejado: se você torrar todo o dinheiro conseguido com a venda de seu rim, não vai poder vender o outro.

Crianças: Já era tempo que filhos davam só despesa. Muitas famílias empreendedoras empregam suas crianças como forma de aumentar a receita, seja vendendo balas, fazendo malabarismos em sinais de trânsito ou mesmo alugando-as para pedintes sem filhos que precisam comover pedestres ou passageiros de ônibus. Entretanto, existe uma forma muito mais rentável para você, pequeno magnata, que não quer depender de trocados: a venda das crianças. Alguns países como China, Tailândia, Índia e Arábia Saudita são um excelente mercado para a venda de crianças de até sete anos como força de trabalho. Caso seus filhos já sejam maiorezinhos, compensa vendê-los para países europeus (especialmente Itália, Espanha e Grécia) como divertimento de milionários.

Experimentos científicos: Com o avanço das pesquisas científicas e os constantes protestos de entidades ambientais, cada vez mais os laboratórios farmacêuticos realizam experiências em seres humanos. Saliento que, normalmente, as “cobaias” são contratadas pelos laboratórios, e não precisam de experiência profissional anterior. É óbvio que às vezes há alguns efeitos colaterais como alergias, diarréias, frigidez ou nascimento de órgãos extras em lugares embaraçosos, mas acredito que a possibilidade de se receber um salário mensal sem fazer muita coisa compense. Além disso, se tudo falhar, lembre-se de que essas empresas pagam seguros de vida milionários a seus “agentes de teste” — assim, na pior das hipóteses, sua família ficará garantida.

Roupas íntimas usadas: Querida leitora, não jogue mais suas calcinhas velhas fora; venda-as! Existe um forte mercado emergente para este tipo de produto. Uma rápida pesquisa no Mercado Livre mostra que o preço deste produto pode chegar a R$ 25. Considerando que uma calcinha nova não costuma custar mais de R$ 10, o lucro que você pode obter apenas com seus fluidos corporais chega a 150% do valor original. Lembre-se, no entanto, de usar a peça por pelo menos três dias antes de pô-la à venda. Os homens também têm lugar neste mercado: afinal, o que importa é o cheiro. Quando mais fedida melhor, e neste campo o sexo masculino leva ampla vantagem.

Armando Peixada é consultor empresarial e só não vende a mãe porque seu irmão fechou o negócio na frente.
Anúncios

18 - dezembro - 2008 at 17:11 4 comentários

Mantenha-se empregado!

Leo Cosendey

Atento às novas tendências mundiais, o CAROÇO traz a você, amigo leitor, uma série de análises psico-econômico-financeiras da realidade que vivemos. Em (mais um) ato de utilidade pública, convidei o renomado analista mercadológico Armando Peixada a escrever neste blogue.

Em meu primeiro post, vou tratar de um assunto que afeta a todos: a inserção no mercado. Todos nós, enquanto trabalhadores a nível de profissionais, precisamos nos qualificar no mercado de forma a chamar a atenção para nossos talentos e a esconder nossos defeitos. É isso que vai garantir que você não vá fazer uma visita trágica ao RH da sua empresa. Para evitar a demissão, existem dois caminhos: fazer com que seus colegas sejam demitidos ou subir posições. Hoje, falaremos sobre esta última opção.

Você pode esperar que seu chefe reconheça seu talento. Você pode desempenhar suas funções à perfeição. Você pode ser cheio de proatividade, sinergia e todos esses termos bacanas de psicologia empresarial. Talvez você eventualmente ganhe uma promoção. No entanto, se depender só disso é provável que leve tanto tempo que você acabe sendo demitido antes.

Assim, recomendo uma tática de marketing pessoal mais agressiva, citada pelo psicociosoneurólogo corporativo americano Al Make U. Jobless em seu recente livro Blowing your Job: o Fellatio Subinte, conhecido mais popularmente como boquete.

O conceito do Fellatio Subinte é simples: basta uma chupetinha em seu chefe imediato para que ele faça uma indicação à diretoria. Em seguida, será necessário você convencer a diretoria — usando a mesma estratégia empregada com seu chefe — para começar a galgar posições. Não desanime se o quadro de diretores for muito extenso: pode reparar que os altos executivos em grandes corporações são todos um pouco dentuços devido ao excesso da prática.

Caso seu chefe imediato seja uma mulher, não se abale: acima dela sempre haverá um homem, pois o ambiente empresarial é profundamente machista. É a atenção dele que você quer. No entanto, não aborde o homem acima dela se ele estiver em cima dela, já que provavelmente o interesse dele em seus argumentos não será dos maiores. Evite reuniões, para evitar distrações. O ideal são almoços, jantares ou torneios de golfe.

Com o passar do tempo, a tendência no Fellatio Subinte é a reversão: conforme você sobe na empresa, a quantidade de boquetes recebidos tende a subir, chegando a se igualar e, eventualmente, superar a de pagos. Este é o chamado ponto ótimo (mesmo), normalmente acompanhado de um poder absoluto de acumulação de riquezas e delegação de tarefas — ou seja, enquanto os outros trabalham, você lucra.

Armando Peixada é consultor empresarial e não cospe, engole.

14 - outubro - 2008 at 13:28 4 comentários


Feeds

Enquete

O que já contamos

Contador

  • 123,796 acessos

Mais caroço

Agenda

novembro 2017
S T Q Q S S D
« fev    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930